Wednesday, May 26, 2010

Linha 4 Amarela do Metrô: obrigado Serra por limpar essa porra de cidade

Ontem: Subindo a R. do Sumidouro olhei para o lado e reconheci um rosto enigmático que aparece no fim do documentário "De Passagem: 24 Horas no Largo da Batata". O homem de barba grossa e grisalha, que olha para a câmera entortando a cabeça, saía de um depósito de sei lá o que. Talvez até tenha me reconhecido, quem sabe?

Hoje: Os lojistas saem às portas das lojas, lojas que ficam num calçadão que antes era rua suja e fumacenta, marcada pela casa de artigos de umbanda ocupando soberana a esquina. Não estão agitados, só guardam uma esperança que a máquina de carregar gente traga pessoas para gastar dinheiro ao lado da Estação Faria Lima.

O metrô da linha 4, amarela, cem por cento construído com o suor do rosto de José Serra, carrega gente diferente daquela que antes se apinhava por ali esperado um ônibus que as levassem para longe dali. Pessoas importantes que carregam pastas, mulheres de cinturas finas, equilibristas em saltos altos finíssimos, que deixam escapar às olhadelas furtivas a renda de seda nobre de suas calcinhas.

Ontem: Em um bar na Cunha Gago um homem assa espetinhos de carne, exagerando no óleo para chamar a freguesia. Putas baratas mostram com vontade a renda barata de suas calcinhas rotas e mal lavadas. Equilibram-se em tamancos de plataforma, alugando o corpo por 15 reais. O que a prefeitura varreu do Largo da Batata foi parar logo ali do lado, onde ônibus que levam as pessoas pra longe ainda enfumaçam as ruas e uma loja de artigos de umbanda ocupa soberana uma esquina.

Hoje: No Metrô da Linha 4, Amarela, é proibido se jogar nos trilhos. Para isso, o José Serra planejou e montou uma ante porta, a porta antes da porta do metrô, por onde só podemos passar quando o metrô abre a porta. Ele também não separou os vagões, tudo é um trem só e podemos ver que o metrô, assim como nós, o metrô desce, o metrô sobe, o metrô faz curvas. Limpíssimo como a cidade vai ser.

As pessoas ainda bestas com a novidade, olham pra todos os lados, dão voltas tentando encontrar a saída, fazem perguntas bobas aos guardinhas, embasbacadas pela novidade. O cidadão sai à tona no Largo da Batata, de onde extirparam até mesmo o nome. Ali é Faria Lima, o nó, o enrosco, o estorvo antes dominado pela ralé foi varrido para perto dali. Agora tudo é nobre, tudo vale muito dinheiro por metro quadrado.

Sobraram pistas de quem passou por ali. No calçadão, que antes era rua suja, uma mancha de gordura, do óleo dos espetinhos para chamar a freguesia, insiste em colar no chão. A duas quadras dali, olho para o lado e vejo o homem da barba grossa, saindo de um depósito puxando uma carroça. Morre o burro, fica o homem.

Ouvindo: Garotos Podres - Vomitaram no Trem

8 comments:

lau said...

qdo eu tava escrevendo o post sobre o largo da batata lá no meu blog, encontrei esta matéria aqui. lê lá. quase chorei, juro!

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20091129/not_imp473686,0.php

Gustavo said...

curti a explicaçao da ante porta: "a porta antes da porta do metrô, por onde só podemos passar quando o metrô abre a porta."

espero que daqui alguns anos o Dorival nao se transforme em um bistrot e a Cerca seja varrida dali como foram os mindingos e os espetinho de gato.

Lui. Aymar said...

Antes o Largo não fazia parte do mapa da "minha cidade", que tinha limite na Faria com Rebouças ou Faria com Teodoro, só que para o lado direito e não para o lado do Largo. Acho que perdi a melhor parte da história, com churrascos gregos e bebidas baratas... ou não... de qualquer forma viva o metro do metrô!

Marcos Crovis said...

bateu um flashback hein bigode?

Roberto Wolvie said...

Mandou bem demais, Bigode.

Erick said...

Belo texto, triste história!

Viva a limpação da cidade!

Anonymous said...

Cara, desde muito cedo percebi o seu talento, a habilidade na escrita, o seu humor diferenciado e agora lendo quase tudo do seu blog, estou certo que vc. escreve e escreve com habilidade absurda!!!!
Tá na hora de selecionar as suas "crônicas " e publicar. Não Achas?

Parabéns.
Vc. e bom pra caramba. Fã. Seu pai.

Marioninha said...

Concordo com seu pai... falo isso faz tempo. Você tem talento!

Beijos