Monday, April 12, 2010

Família, frutas e futricas

Carlos Juliano tinha 23 anos e dois irmãos. Seu apelido era Caju. Cajá era irmão de Caju. Nascido e batizado Carlos Jacinto, tinha Carlos Quincas como irmão mais velho. Cajá era o irmão do meio, posicionado entre Caju e Caqui. A salada de frutas começou a desandar quando Caqui desandou falar mal de Caju para as meninas da vizinhança. Invejoso das investidas do irmão de olhos cor de castanha, Carlos Quincas espalhava frases cifradas pelos muros da quebrada: "Caju podre não presta pra nada". "Caju tem uma castanha entalada no cu". E o nível descia a ladeira junto com os muros, que estavam quase todos tomados pelos escritos de Caqui. Mal a noite caía, Caqui saía de casa com uma latinha de tinta e muita maldade na cabeça. Na cabeça de Caju nem passava a idéia que o covarde que o desonrava era o irmão mais novo, só ficava a tormenta deixada pelos risos velados das meninas. Caju passava, a risada corria, a veia da testa saltava e o mocinho voltava pra casa fulo da vida, querendo saber se o corajoso teria a coragem de dizer na cara onde é que estava entalada a castanha de Caju. Cajá não queria saber de caso e não entrou no meio dos dois, pois sabia que era o Caqui quem fodia a vida do Caju. Cajá queria mais é ver os dois se sabotando, enquanto aproveitava para levantar as saias das meninas, que antes só mostravam as "perninhas" pro Caju.

Ouvindo Caju e Castanha - Embolada

4 comments:

Marion said...

Hahahaha, muito bom!
Viu, se a gente chama nossos filhos assim, a merda que vai dar?!

Gustavo said...

cuidado pro Caju nao achar que é pessoal, hein!?...haha

Erick said...

Muito bom mesmo!

Caju caqui e caja. Cabô?

laura said...

bom, antes "caju" do que "carlos juliano"...