Friday, July 27, 2007

Vida cigana

Lembro-me bem, quer dizer, lembro-me mais ou menos de um certo episodio que marcou a minha infancia: o casamento de Gian&Giovanni. Sei que cada um dos membros da dupla é uma pessoa so, mais assim como o Sandy&Junior é filho do Chitaozinho&Xororò, quem casou naquela época foi o Gian&Giovanni. Digo que me lembro mais ou menos porque me escapa o nome do salao de cabeleireiro que era administrado pela familia da noiva. Foi a primeira vez que eu vi a palavra "coifure" na minha vida e ate ha uns meses atras ainda nao fazia ideia do que se tratava, apena imaginava que fosse uma invencao dos saloes de beleza do interior para atrair mais clientes, ja que o que é desconhecido definitivamente chama atencao. O salao ficava na esquina da "pracinha", onde iniciei-me no futebol, nos jogos de guerra com armas feitas de pau, no "bolibete" (tambem conhecido como taco) e ate onde certa vez fui Caça Fantasmas no dia depois à estreia do filme na Tela Quente. Em cima do salao morava a Camarga, a velha louca que corria atras das criancas e que povoava o imaginario da molecada. Camarga era inimiga mortal de GT, o grande mentor espiritual da turma e de Churrasco, o unico preto da vizinhanca. Acontece que um belo dia, enquanto investiamos nosso tempo observando a Camarga em sua janela (imaginem a Bruxa do 71, era "igual que nem"), um carro importado, coisa rara na epoca, parou em frente ao salao de coifure e parou o tempo e o espaco em nosso mundo da "pracinha". Nao se se foi o Gt, se foi o Churrasco, se foi o Perna, o Bocao, a Marilei ou a Claudia (minha tia mais nova tambem fazia parte da trupe) que chegou com a novidade:
- ... é o carro do Gian&Giovanni, ele vai casar com a filha da dona do salao.
O Gian&Giovanni havia recentemente ganhado o mercado nacional musical e saber que ele estava ali, no salao de coifure, ao lado da pracinha era demais para nos. Deixamos a Camarga à vontade em sua janela e voltamos cada um a sua casa (ou casa da vò, no meu caso) para espalhar a novidade. Longos sao os tempos sem pisar na "pracinha", a ultima vez que eu passei por la ela parecia bem menor e menos encantadora, acho que acontece quando se é crianca de achar que as coisas sao maior que realmente sao. Longos sao os tempos sem pisar naquela cidade, foram 5 mudancas, nao sei se conheco mais alguem que nao seja da minha familia por la. O mundo da muitas voltas e a gente da outras voltas em torno dele. Mas tenho a certeza que um dia volto la, que um dia o Gian&Giovanni vai parar o carro bem perto de mim e sentirei todo aquele poder de novo. Mas a certeza que mais me domina nesse exato momento é que logo volto a ver o que tenho de mais precioso em minha vida. Logo seus olhinhos azuis vao encher-se de alegria e sorrir mais que sua boca e suas lagrimas lavarao toda a tristeza acumulada ao longo desses 22 dias que fico longe. Ai nesse dia, quando eu voltar, poderei cantar bem baixinho no seu ouvido um sucesso do Gian&Giovanni, que é mais ou menos assim, canta comigo:

Vida Cigana*
Oh meu amor não fique triste,
saudade existe pra quem sabe ter,
minha vida cigana me afastou de você,
por algum tempo vou ter que viver
por aqui longe de você,
longe do seu carinho e do seu olhar
que me acompanha, já tem muito tempo,
penso em você a cada momento.
sou água de rio que vai para o mar,
sou nuvem nova que vem pra molhar
essa noiva que é você.
pra mimvocê é linda, a dona do meu coração
que bate tanto quando te ve
é a verdade que me faz viver...

*composicao de Geraldo Spindola

Ouvindo: La femme chocolate - Olivia Ruiz

PS: Todo o post foi uma enrolacao para poder publicar essa musica sem passar tanta vergonha, mas o fato é que eu gosto dela, entre outras musicas sertanejas. Nao gostou, "be water, my friend" .

7 comments:

F. said...

Gian&Giovani vêm junto e não se separa...Assim como Leandro & Leonardo, Diego & Robinho, Artrite e artrose, fudido & mal pago, e por aí vai.

Agora, com o www.google.com/ig, sou avisado de todos os posts, aparecerei mais.

É nóis,

Anonymous said...

Esqueceste da parte do treinamento militar do GT. Impagável. Saudades...
Eduardo

Natalia said...

"bolibete", taco ou BETE, como a gente chamava por aqui. apelido do bolibete. quando lancei essa em sum paulo, me olharam com cara de "quêêê?". pois sim: eu jogava, jogo às vezes e sempre jogarei o meu BETE. do mesmo jeito que "can can" é MAU MAU, e que "adesivo" é colante e "branquinho" é errorex. e ponto final.

Marion said...

la femme chocolat...y a pas de "e". Reviens vite mon coeur!

lau2m said...

muito bonitinho :)

Anonymous said...

velho, se vc cantar essa musica no ouvido a olhos azuis vai sair correndo.

saudades loco, manda noticias.

diogo

joana abrines said...

Bonita cançao e intimas palavras.
E ai bigode!? ainda continua pela Europa!? Sou a Joana da Espanha!? Vai ver como ao final a gente nao vai combinar pra se encontrar nunca. Mas eu quero, viu!? Ate quando você fica em Portugal!? Nesta semana eu vou viajar pra Mallorca (a minha terra, lembra?) mais volto ao final de agosto a Barcelona... Sabe, sento saudades daquelas pessoas que conheci no Brasil onde foi feliz. E fiz o que você queria: escrever um post no meu blog em português, tal vez tenha muitos erros, mais a vontade é o que importa, nem!?
BEiJOS